O que é AVC?

 13/08/2021


AVC é a sigla para Acidente Vascular Cerebral. Esse é o termo médico utilizado para o derrame, condição que afeta o suprimento de sangue, oxigênio e suprimentos que mantêm o cérebro em pleno funcionamento.

Quando o AVC ocorre, ele pode afetar uma ou mais áreas do cérebro, sendo que os neurônios, células que compõem o cérebro, podem acabar morrendo caso o AVC não seja tratado o mais rápido possível.

Como os neurônios não se multiplicam como o resto das células do corpo, a morte de um deles por conta do AVC pode gerar sequelas para o indivíduo, já que a função daquela célula não poderá ser realizada por outra.

De forma geral, os primeiros três meses após o acontecimento do AVC são essenciais para avaliar a recuperação do paciente e aprimorar seu estado geral.

Existem diferentes tipos de AVC, sendo que cada um possui um tipo de tratamento e uma orientação médica a ser seguida. No geral, mais de 80% dos AVC são do tipo isquêmico, onde acontece algum tipo de obstrução ou entupimento em uma ou mais veias que suprem o cérebro.

Ter um AVC uma vez na vida não significa que isso não pode acontecer de novo, sendo que vários pacientes que já tiveram essa condição podem apresentá-la novamente.

Causas do AVC isquêmico

O AVC isquêmico é causado pela obstrução de algum vaso que leva sangue ao cérebro, que na maioria das vezes, acontece em pessoas acima dos 50 anos, entretanto, também é possível acontecer em jovens. Isso pode acontecer devido a:

  1. Tabagismo e má alimentação
    Hábitos de vida como o tabagismo, o consumo de alimentos ricos em gorduras, frituras, sal, carboidratos e açúcares, aumentam o risco de desenvolver o acúmulo de placas de gordura nos vasos sanguíneos do cérebro e em vasos importantes para a circulação cerebral. Quando isso acontece, o sangue não consegue passar e as células da região afetada começam a morrer por falta de oxigênio.

  2. Pressão alta, colesterol e diabetes
    Doenças como pressão alta, colesterol, triglicerídeos altos, obesidade ou diabetes são os maiores riscos para a formação de acúmulo de placas de gordura, assim como o desenvolvimento de inflamações nos vasos sanguíneos e doenças cardíacas, sendo importantes riscos para o AVC.

  3. Defeitos no coração ou vasos sanguíneos
    Alterações no coração, como presença de uma arritmia, dilatação ou alterações no funcionamento do músculo cardíaco ou de suas valvas, assim como a presença de um tumor ou calcificação, contribuem para a formação de coágulos, que podem chegar ao cérebro pela corrente sanguínea.

  4. Uso de drogas ilícitas
    O uso de drogas ilícitas, principalmente de forma injetável, como heroína, por exemplo, favorece a lesão e os espasmos nos vasos sanguíneos, o que pode contribuir para a formação de coágulos e, consequentemente, AVC.


Causas do AVC hemorrágico

O derrame cerebral hemorrágico acontece quando há um sangramento dentro do cérebro ou nas meninges, que são películas que envolvem o cérebro. Este tipo de AVC pode acontecer tanto em idosos quanto em jovens, e as principais causas são:

  1. Pressão alta
    A pressão muito elevada pode romper algum dos vasos do cérebro, sendo esta a principal causa do AVC hemorrágico. Geralmente, acontece em pessoas que têm picos de pressão muito alta, por não realizar o tratamento da hipertensão.

  2. Pancada na cabeça
    O traumatismo crânio-encefálico, que pode acontecer em acidentes de trânsito, é uma importante causa de AVC, pois pode provocar o sangramento dentro e ao redor do cérebro, sendo uma situação muito grave e que põe em risco a vida da pessoa.

  3. Aneurisma cerebral
    A presença de um aneurisma ou outras malformações de vasos sanguíneos dentro do cérebro, aumentam o risco de ruptura e hemorragia, principalmente quando seu tamanho aumenta com o tempo.

  4. Uso de anticoagulantes
    Os remédios anticoagulantes são muito importantes em diversas doenças, como arritmias, trombose ou doenças das valvas do coração, por exemplo, entretanto, se usados da forma errada, ou se a pessoa não se tiver alguns cuidados, por aumentar o risco de sangramentos, inclusive dentro o cérebro.


Quais são os sinais de AVC?

Curiosamente, a pessoa que está tendo um AVC geralmente não percebe os sinais da doença. É por isso que todos devem saber identificar os sinais primários de AVC, auxiliando a pessoa que está passando por isso na hora de procurar um atendimento médico.

Os sinais de AVC são:

  • Perda súbita de força;
  • Formigamento de um lado do corpo, atingindo rosto, braço ou perna;
  • Paralisia facial;
  • Dificuldade para falar e para caminhar;
  • Dor de cabeça forte;
  • Perda de visão repentina em um dos olhos
  • Vertigem;
  • Convulsões;
  • Desmaios;
  • Desequilíbrio;
  • Náuseas e vômitos.

Como é o diagnóstico de AVC?

Assim que o paciente apresentar um ou mais dos sintomas acima, ele deve ser levado a um pronto-socorro. Lá, o médico fará exames e testes físicos para avaliar se há a possibilidade de o diagnóstico ser um AVC.

O paciente poderá realizar exames como uma tomografia computadorizada e uma ressonância magnética, que vão auxiliar o médico a determinar o tipo de AVC que ele sofreu.

 Como é feito o tratamento do AVC?

O tratamento do AVC é feito de acordo com o tipo de AVC que o paciente teve. Via de regra, esse tratamento é feito o mais rápido possível, para evitar que aconteça a morte de neurônios no cérebro, que podem trazer sequelas para sempre ao paciente.

No caso do AVC isquêmico, podem ser aplicadas medicações que dissolvem coágulos e entupimentos nas veias do paciente. Existe a possibilidade de retirada mecânica, por meio de procedimentos que insere um cateter no cérebro do paciente e consegue dissolver o entupimento no local, com agilidade e rapidez.

No AVC hemorrágico podem ser feitas cirurgias que removem o sangue que ficou no local e que pode estar causando pressão no cérebro.
 

Quais as sequelas do AVC?

O AVC pode deixar algumas sequelas no paciente, como dificuldades em se movimentar, em falar e em sentir um dos lados do corpo, além de problemas para entender o que lhe é dito, de reconhecer objetos comuns e de se lembrar de fatos de sua vida.

O paciente com AVC também pode sofrer de alterações no temperamento ou no comportamento em geral, além de depressão.

As sequelas do AVC dependem diretamente da região do cérebro que foi afetada pela falta de suprimento sanguíneo.

----------------------------
NEURO INTERV
Solicite uma consulta –
clique aqui
Ou ligue para: (41) 3338-8984 | (41) 9 9922-2888